quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Ah coração..

Você que finge ser sensato e sempre cheio de si. Sempre faz do umbigo seu mundo. Procura no ego seu refugio, no espelho sua morada. Faz do reflexo seu abrigo... Foge de qualquer lembrança, qualquer coisa que o faça perceber que nem tudo gira em torno de você.

Você mesmo... Que busca apenas satisfação pessoal, sem se importar com o coração alheio que te guia, te cuida e te quer..mesmo de longe,mesmo errado,mesmo manso.Um coração que já foi seu,que te deu o mais inocente carinho,que não pediu nada em troca.Foi seu por querer seu seu.Foi seu por saber-se seu.Foi seu..e tão seu que o tal coração não percebeu que você era grande demais pra ele.E foi sufocando,sufocando..até que quebrou-se em pedacinhos impossíveis de colar,juntar,refazer.

E você continuou impassível a ele..e o coração..ah,maltrapilho coração..esse vaga por ai,sem ser inteiro,sem ser morada..sem conseguir juntar tudo o que você separou.

3 comentários:

lorena-isa disse...

..."me transporto pra perto de vc"...

.Dazinha. disse...

Mas com jeitinho, cuidado, paciência...vai juntando, vai sim.
Uma hora o malandro do coração cansa dessa vida de andarilho, e volta pra casa, faz-se aconchego!

Beijinhos minha linda!

AriFilho disse...

Há quanto tempo!
Tão bom ler as tuas palavras, senhorita. Consisas, cientes, inteligentes. "...até que quebrou em pedacinhos impossíveis de colar..." bom mesmo!
Abração