terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Segredo?

Todos têm segredos inconfessáveis. Segredos que só o travesseiro ou aquela velha boneca de infância conhecem. Ela também tinha. Guardava pra si um pedacinho secreto que ninguém mais conhecia. E isso corroia. Machucava. Atormentava.

Queria despir-se de toda e qualquer coisa que julgava indiscreta. Mas temia ser incompreendida. Temia ser julgada-apesar de sempre dizer-se alheia a opiniões de terceiros. Queria poder tornar nua sua alma. Ser toda transparente, tal qual o vidro da janela onde espiava a garoa fina lá fora.
Mas sabia impossível-”Ninguém é tão misterioso quanto imagina”-pensou e acendeu seu cigarro, e a cada tragada um suspiro profundo. Suspiros indignados, inconformados, verdadeiros.

Durante instantes, sentiu-se suja, impura, pois guardava pra si um segredo que nem era assim tão secreto.. Mas era incerto, descabido, um tanto ridículo. E entre um devaneio e outro, decidiu confessar, não para o mundo, mas para si mesma,o amorzinho que há tempos escondia,alimentava e que mais do que nunca, precisava mostrar-se vivo. Ridiculamente vivo. Assim como ela, perigosamente... Vivo.

4 comentários:

Agostinho Lopes disse...

Como dizia o poeta luso, "Navegar é preciso (no sentido de precisão, exatidão), viver não é preciso".

Na vida, mesmo quando tentamos ser "vidros transparentes", sempre haverá uma leve poeira ou uma forte camada de lama a cobrir a transparência... Escondendo, propositadamente, nossa indecência...

Darla disse...

tbm acho...e é isso que nos faz humanos...

.Dazinha. disse...

Sempre temos coisas a esconder, e acabamos por não esconder nada quando se trata de sentimento. Pois ficam estatelados no nosso jeito de olhar, de andar, de falar...

Beijao querida

Caminheiro Pensador disse...

Segredos existem para serem secretos mesmo?

Interessante como coloca tudo!