domingo, 20 de setembro de 2009

Fragilidade.

Como o rio que deságua sem pressa..a menina andava assim...sem pressa, apreciando as fotografias ora exuberantes, ora irritantemente diferentes.
No exato de sua certeza, que era incerta, monótona , indigesta pintou quadros recalcados, (des)temperados, sem luz.
Trilhou descobertas, caminhos, estradas.
Foi errante, andarilha, atrapalhada.
Amou, sofreu, desamou e tornou a sofrer.
Fez dos olhos mar desaguado...bicho acuado...
Fez do peito morada, fogo ardente, porão abandonado
E fez de si, algo que não devia.
Frágil.

2 comentários:

vini9livess disse...

Frágil como todos nós devemos ser um dia... Só temos q ser assim com a pessoa certa. Frágil de mim vc ne cuidará pra sempre?!

Darla disse...

oi fran...lindo isso!
sds de vc menina...tava vendo uns comentários seus no meu blog...vc sempre tão linda, tão querida...cada palavra que me fez sorrir o melhor dos sorrisos!
Adorei essa fragilidade forte!
bjo