quinta-feira, 16 de abril de 2009

Paz.

Dançava frenéticamente na frente do espelho embaçado. Seus cachos giravam como molas balançadas pelo vento. Poses, sorrisos e pulinhos.

-oh oh oh, she moves in her own away[...]

Nunca uma manhã fora tão colorida! Pensamentos pintados feito poesia, a pele tão clara e reluzente. Branca. Como definem a paz, que inundava até mesmo os cantinhos do quarto onde os braços do sol não alcançaram.
Estava ilicitamente feliz. Despudoradamente tranquila.
E como era bom.
Ah, sim.. a paz a invadira como lampejos de raios que antecedem uma boa tempestade.
E como foi bom.
Iluminou corpo, alma e coração. Atingiu seu âmago, seus desejos mais íntimos.
E como é bom.



-But uh oh, I love her because
She moves in her own way
But uh oh, she came to my show
Just to hear about my day-

[The kooks-She moves in her own way]

5 comentários:

Mônica disse...

Gostei muito do seu blog e pretendo voltar mais vezes.

Até.

Darla disse...

Franzinha!
Que delícia é essa??? contagiante...

"Estava ilicitamente feliz. Despudoradamente tranquila.
E como era bom."

Adoro esse seu jeito de falar! adoro!
bjo

anso rodrigues disse...

“Oh, vinde vós, os povos de todas as nações, erguei-vos e cantai com alegria, sabei que em breve vem um novo dia; um dia de justiça, um dia de verdade, um dia em que haverá paz na terra; um dia em que será vencida a morte pela vida e a escravidão enfim acabará”.

Lembrei da canção entoada pelos jovenms idealistas portugueses durante a Revolução dos Cravos...
Linda!

.Macarenna disse...

Vindo akee primeira vez.

Putz ameei o post
vc fala muito bemm, contagia o intimo e tal, e a Paz é mara!
é o melhor sentimento de se sentir

beeijos

Lorena disse...

Belíssima descrição. Depois quero umas aulas... rs
Beijos, adorei o blog!